Pular navegação

Blog

Ajuda

Memorial 08.09.14 - Paulo Santana

Etiquetado:

Hoje eu corri para não me atrasar. Consegui chegar em cima da hora e encontrei a sala ainda aberta. O dia começou com yoga, foi muito relaxante, tranquilizante e me fez ver o quão enferrujado eu estou, mas com a prática tudo se é aprimorado e o meu corpo também vai se acostumar com esta nova realidade. Depois disso tivemos mas atividades de interação/brincadeira que exigiam concentração e pensamento rápido, como sou meio estabanado saí me batendo em tudo, meu óculos voou mas 3 vezes da minha cara (nota mental: passar a ir para a oficina com lente de contato), e meu joelho está meio lenhado por causa das mergulhadas que dei no chão pra salvar quem estava preso rsrs . Depois continuamos as dinâmicas de conhecimento do espaço e de fazer o som gerado pela energia do ambiente brotar e assim fomos divididos em 3 grupos para a partir de uma frase do texto de Macbeth, criar algo.

Memorial Victoria Matos 08.09.2014

Hoje pela manhã tivemos novamente um estresse por causa do bendito horário de 09:00 horas que acordamos a chegar e sobre a bendita porta que acordamos fechar.Não guento mais.

Trabalhamos com Tales a música que possivelmente entrará na primeira cena das bruxas em Macbeth.Musiquinha em estilo árabe,gostei.Gostei muito também da cena que foi trabalhada... separadamente com Márcio,curti muito a química de Tiago e Fernanda e da transição das Ladys de Mari e Nanda.

Memorial de Victoria Matos sobre Jango

Etiquetado:

A história do Brasil é um assunto que me interessa muito,sei bem menos do que gostaria.No final de 2012 comecei a escrever um livro.Se tratava da história de uma jovem estudante que se apaixonava pelo irmão do namorado morto,o morto era membro da UNE na época do golpe.Escrevi 5 capítulos e parei.O fato é que estar em Jango me fez lembrar esses meus escritos,me fez lembrar essa ferida que que provocou cicatrizes que ainda não estão secas no Brasil,direta ou indiretamente.

Foi uma emoção sem igual estar no palco,Marcio nos pediu para valorizar a técnica e segurar a emoção mas foi muito difícil pra mim.Reverberar cada palavra daquele coro era absurdamente significativo.Certas frases necessitavam de uma força bastante especial para serem explicitadas e espero ter conseguido fazer isso,espero ter alcançado o fluxo do coro apesar das minhas emoções.Éramos um coro e eu precisava ou me igualar a superioridade de alguns,ou a mediocridade de outros,complicado.

Memorial do dia 08.09.2014 – Luana Paim

Etiquetado:

 Hoje foi um dia péssimo para mim. Não consegui me doar no encontro e senti vontade de sair e me isolar em algum canto daquele teatro ou do passeio público. Acordei 6h da manhã, pois era segunda-feira e segunda é dia de engarrafamento brabo, e fiquei esperando meu bonde (Grazi, Breno e Victor). Manifestação na Bonocô e Ogunjá! QUE SORTE! Assim como na sexta, apreensão. Não chegamos 9h mas mesmo assim insistimos, o que foi a pior escolha. Márcio se aborreceu e eu me aborreci junto pelo jeito que alguns se expressaram. Quando eu me predisponho a acordar cedo é porque EU QUERO estar lá, eu quero encontrar a porta aberta. Imprevistos acontecem e assim como sexta-feira nos deparamos com essa surpresa. Não tiro a razão da porta estar fechada, mas ainda acredito que deveria haver uma tolerância. Assim como Fernanda, também estudei em colégio católico e todos tinham 15 minutos para chegar. O que me deixa triste são as palavras, as suposições, a falta de confiança.

Memorial 05.09.2014

Ontem foi um dia difícil. De início, não conseguia entender a proposta de Franklin, mas no final levei pra casa que posso criar múltiplas possibilidades de expressão e não ficar preso somente a uma.

Como convencer alguém? Essa pergunta já me acompanhava antes, no meu ofício de advogado, e volta agora na LIVRE. Não me incomoda, isso me instiga, pois explorar novas formas de expressão é um convite à criatividade.

A expressão sai de dentro pra fora (óbvio). Saber como chegar na plateia, no coração, nas emoções... Ser certeiro no golpe. Tocar. Eis a questão, companheiro Shakespeare.

Memorial 04.09.2014

Brinquei um bocado e me senti de volta ao jardim de infância... Fizemos também pequenas montagens de Macbeth, avaliamos a atuação uns dos outros. É necessário ser mais seco nas críticas, pois elas nos ajudam a melhorar. Talvez seja mesmo desperdício de tempo ser “educado”, passar a mão na cabeça do colega e conservar seus vícios e erros. Vou experimentar melhores críticas!  Tinha muita coisa que percebi, mas quando a colega falou, pensei “poxa, eu podia ter dito isso também”... Por que não disse na hora? Percebo melhor o valor da crítica para o ator.

Tendemos à comédia e não é só na Bahia. Só comédia não é suficiente. A comédia tem um efeito inicial benéfico, a descontração, desfaz tensões e propicia transigência, fluidez. Mas comédia demais vira banalização genérica, nada é importante, tudo perde qualquer relevância, então não se vai pra lugar nenhum. Se só houver comédia, que discussão política valeria a pena?

Memoriais 01, 02 e 03.09.2014

No primeiro dia, o dia da seleção, que na verdade não é seleção, cheguei duas horas
atrasado.  Perdi.  Fiz  os  dois  dias  seguintes,  foi  muito  bom.  Na  segunda-feira  começava  a
oficina  de  3  meses,  que  é  só  mais  uma  etapa.  Zambia  nos  apresentou  recursos  das
tradições  Afro,  nos  convidou  ao batuque, à  dança,  a  sei  lá  o que mais,  a  acordar  nossos
corpos...  E  os  corpos  muito  tempo  em  hibernação  reclamam  quando  são  acordados.
Doem.  Apesar  de  costumar  praticar  esportes,  correr,  nadar,  arriscar  uma  dança,  etc.  eu

Memorial 27.08.2014

A atividade do encontro de hoje foi a continuação do dia anterior,
com a diferença que neste definimos formas nos personagens que
criamos, enquanto que ontem apenas os descobrimos, sem grandes
definições. Hoje, acho que foi mais uma sintetização, nisso envolvia a
mesma liberação com o uso da criatividade. Procurei poupar um pouco
da minha energia para não voltar para casa tão cansado quanto ontem.
Acho que por isso não tive um resultado expressivo, mas dois dias de
oficina é pouco tempo de prática para se exigir tanto. Em qualquer
ofício, acho que vale mais a persistência, entre erros e acertos, fazer
novos experimentos.
Desta vez, o lado positivo foi ter falado mais, me movimentado
mais, articulado algo, etc. com menos intensidade, mas ainda assim
estava concentrado no meu papel. Senti que me faltaram recursos de
produção, mas mesmo assim deu pra fazer algo. Foi divertido também

Memorial 26.08.2014

Cada novo encontro com a gente é novo. A tarde no Vila Velha prometia, e ao final surpreendia... Entrei na sala com pessoas novas e algumas conhecidas, parecia um encontro comum, mas sabíamos lá que não era. Um encontro com nossas emoções e sentimentos mais íntimos e por tanto tempo esquecidos, de repente revelados pelo outro, que descobriamos ser nós mesmos. E então nos conhecemos. Lembro que fomos orientados a ‘fazer’ e não somente a ‘mostrar’. As coisas vão acontecendo, tudo tão novo e ao mesmo tempo tão familiar. Descobrimos alguém que podemos reencontrar novamente: nos preparamos, nos vestimos, nos lembramos onde morava e lá estava. E depois nos despedimos, há outros a encontrar, a conhecer por aí... Novos. Livres. Bárbaros. Baianos. Vivos, bem vivos.

mutirão de tatefas

Salve salve queridos e queridas gostaria de pedir atenção de vcs para as tarefas. Faltam 70 e poucas tarefas para serem efetuadas no caixa, mas algumas tem ate 5 responsáveis, então o numero pode ser outro de transações. Estamos na metade do nosso mutirão. Não esqueçam de efetuar uma por uma das transações de cada responsável por tarefa. att Gilberto
Precisa de ajuda?

Blog

O blog permite que os membros de um projeto se comuniquem, discutindo e publicando novidades. É um ótimo lugar para compartilhar processos, desafios e explorar ideias.