Pular navegação

Conhecimentos como demanda/oferta

Conhecimentos como demanda/oferta

Um novo usuário @washmalik começou alguns projetos e postou a seguinte pergunta na Árvore do Conhecimento:
"Alguém ai tem metodos e meios gerenciais para começar ou melhorar um movimento social?"
http://corais.org/node/83029
Fiquei pensando se podemos pensar numa lógica de demanda/oferta esses conhecimentos ou se isso iria corromper a construção de um comum. A Árvore no momento tem uma estrutura de leitura, mas não tem uma estrutura de troca. Talvez por esse motivo as pessoas não compartilhem conhecimento, porque não entendem como isso pode trazer benefícios a ela ou a outros.
De qualquer maneira, já passamos a marca de mais de um milhão de visualizações, somando todos os conhecimentos. Isso significa que as pessoas estão lendo, mas como mostrar a elas as vantagens de contribuir escrevendo?

Comentários

#1

Cara, eu creio que a política de jogar conhecimentos na árvore seja sempre benéfico, porque outras pessoas podem contribuir com aquele conhecimento que postei, e isso é bastante interessante pra mim, e podem se apropriar dos processos que participo e/ou ajudei a criar, o q de certa forma atesta q estou no caminho certo.

Por outro lado de fato, poderia haver mais colaborações na árvore. Percebo um sentimento geral parecido com o das redes de compartilhamentos de arquivos como musicas e filmes, em que o download é muito maior que o upload.

Seria mesmo muito interessante que pudessemos operacionalizar trocas de conhecimento aqui no Corais. Fico meio bolado com essa coisa de ter que 'ganhar algo' para alimentar a árvore q remete (creio eu) ao ponto em q tu se refere a "romper com a construção de um comum".

Mas enfim, acho que dá um debate massa....sugiro que tu jogue a questão linkando esse post no perfil do twitter do corais @Fred. Porque aí, mais pessoas podem colaborar com esta discussão. Me comprometo a retweetar e dar meus pitacos aqui na discussão.

#2

As postagens do blog vão automaticamente pro nosso twitter, mas até agora ninguém mais opinou. Alguém pensa diferente sobre como motivar as pessoas a colaborar mais com a árvore do conhecimento?

#5

Acredito e também por leituras de outros expertises - não exatamente designers, mas usuários avançados de tecnologias, que cada pessoa tem o seu tempo tanto para se apropriar do uso das ferramentas, como para compreender o potencial da Árvore do Conhecimento, para aprender e contribuir com as aprendizagens comuns.

Quando iniciei na Corais, em 2012, fiquei encantada com tudo e adorei a árvore do conhecimento. Tive vontade de transladar alguns dos conhecimentos, que pareceram/m úteis, para o design educacional de cursos online. Na época acho que se comentei, foi muito tímida e ficou nisso. 

À medida que nos sentimos acolhidos e 'parte' vamos ousando e empreendemos novos e maiores voos. 

Ainda desejo fazer isso (cocriar os conhecimentos da Árvore para o DE). Não sendo designer, não tenho ideia de como fazer, técnica e operacionalmente falando.

Quanto ao que o usuário indaga, neste momento tenho o desafio de articular, incentivar e apoiar a participação e a colaboração de pessoas de um grupo de trabalho, online. Criei um espaço bacana mas mais simples - pensando que seria mais intuitivo, para os mais desconectados.

< http://softwarelivre.org/cgtc/bem-vinds-ao-cgtc-online >

Hoje já não tenho certeza de ter feito a melhor escolha, porque gestar a informação de modo artesanal, sem ferramentas de gestão de projetos, dispende um tempo que não tenho.

Falando do lance de pontuação que o Carlos menciona, acho ótimo e por vários motivos. Destaco a possibilidade de, a partir das não pontuações, identificar os que não estão pondo a mão-na-massa e, a partir da percepção, ver se precisa de ajuda, buscar entender se está tudo bem enfim.

Gostaria de saber se o usuário interessado em ferramentas de participação criou ou cria algo nesse sentido Fred?

#6

A Árvore do Conhecimento começou com conteúdos sobre design, mas hoje já tem outras áreas: Comunicação, Pedagogia, Manifestações Culturais. Ou seja, mesmo não sendo designer você pode colaborar Paula. Se você tiver algum tema para organizar e compartilhar conhecimentos úteis aos demais projetos, a árvore é uma boa. Hoje já existe um sistema de pontuação para quem posta conhecimentos, mas não dá pra fazer nada com esses pontos. É só um reconhecimento na comunidade.

#7

Paula, de fato, como Fred falou dá pra alimentar a árvore com conteúdos diversos. Eu mesmo, q tb não sou designer, colaborei com alguns mini tutoriais para uso de ferramentas do corais, e pretendo em breve fazer o mesmo com economia solidária.

O ideal é que a gente tenha o hábito de alimentá-la e as pessoas irem consultando, editando e renovando esses conceitos. Acho essa wiki fodona e ela pode ficar tão referencial quanto o livro, para consulta de novos e antigos usuários.

#3

Que massa essa coisa de tudo que vai pro blog ir pro Twitter. Isso pode ser feito com todos os projetos @Fred?

#4

Desculpe a demora Carlos. A conexão é feita através de um aplicativo terceiro, o IFTTT. Quem quiser configurar isso para o seu projeto, basta pegar o endereço do RSS feed que aparece no topo da página inicial do projeto.

Sobre a questão dos conhecimentos, criei uma tarefa para recomendar conhecimentos ao usuário. Alguma outra ideia?