Memorial do dia 08.09.2014 – Luana Paim

Etiquetado:

 Hoje foi um dia péssimo para mim. Não consegui me doar no encontro e senti vontade de sair e me isolar em algum canto daquele teatro ou do passeio público. Acordei 6h da manhã, pois era segunda-feira e segunda é dia de engarrafamento brabo, e fiquei esperando meu bonde (Grazi, Breno e Victor). Manifestação na Bonocô e Ogunjá! QUE SORTE! Assim como na sexta, apreensão. Não chegamos 9h mas mesmo assim insistimos, o que foi a pior escolha. Márcio se aborreceu e eu me aborreci junto pelo jeito que alguns se expressaram. Quando eu me predisponho a acordar cedo é porque EU QUERO estar lá, eu quero encontrar a porta aberta. Imprevistos acontecem e assim como sexta-feira nos deparamos com essa surpresa. Não tiro a razão da porta estar fechada, mas ainda acredito que deveria haver uma tolerância. Assim como Fernanda, também estudei em colégio católico e todos tinham 15 minutos para chegar. O que me deixa triste são as palavras, as suposições, a falta de confiança. Eu gosto de estar naquele lugar, gosto de chegar às 9h, de fazer as atividades e nunca menti para justificar falta ou atraso. Não estar presente me deixa triste e eu sofri isso na pele quando fiquei doente e tive que me afastar do processo. Se eu não quisesse estar na LIVRE, eu não estaria. Se eu não quisesse entrar na João Augusto, eu nem sairia de casa, porque inventar mentira é que não vou. Não quero perder o tesão pelo processo e pelo projeto, mas hoje eu repensei várias vezes.

Após essa discussão, alguns atores foram com Márcio para Mário Gusmão e outros ficaram na João Augusto com Thalis. Fizemos alguns exercícios e aprendemos um pouco sobre música árabe. Montamos uma cena e quando Márcio retornou, mostramos nossos trabalhos. Achei interessante o que ele montou com Márcia, Querino e Fernanda. Gostei da “agrestia” do casal. Mas a figura da Lady ainda me confunde. Tinha uma visão diferente, mas me permiti gostar dessa “nova” perspectiva. Nando Zâmbia chegou e fui tocar. Devido ao ensaio ontem do Bonde dos Ratinhos, acordei quebrada e com calos na sola do pé. Mas não foi só por isso que resolvi tocar. Gosto de aprender coisas novas e dessa concentração que eu PRECISO ter quando estou com o instrumento. Foi bacana! Márcio, que havia saído novamente, retornou com Nanda, Querino e Gavim para nos mostrar outra cena. Me incomodou a permanência da primeira Lady MacBeth em cena após a fala da segunda, embora tenha achado interessante as duas darem o texto juntas.

Seguimos!

Comentários