Memorial 08.09 - GRAZIELLE

Etiquetado:

Não quero falar sobre o atraso e sobre a história da porta, porque não tenho mais saco pra isso, então, direto ao processo.

Começamos com Thales, para trabalhar a música, o canto das mulheres e essa presença delas. Inicialmente tive muita dificuldade de mergulhar porque ainda estava sob o efeito do stress que rolou na chegada, mas, aos poucos fui entrando, no final já estava imersa. Gostei muito do que fizemos, foi forte e intenso e principalmente foi proveitoso! Cada vez acho essa cena do campo de batalha mais bonita com a entrada dessas mulheres, e essa coisa delas entrarem com os instrumentos tem uma força e uma beleza ainda maior. Não tenho certeza se será assim, mas, no que foi proposto ficou bem bonito! Ainda temos que afinar esse canto, internalizar esse som, mas, estamos progredindo acredito, as meninas estão se dedicando mesmo!

Meirelles, desceu com Querino e Fernanda para passar a cena de Macbeth e Lady, enquanto estávamos com Thales. As 11:00hs chegou Zambia, rapidamente mostramos a cena que construímos com Thales e Fernanda e Querino mostraram o que construíram com Márcio.

Márcio desceu novamente com Querino e Fernanda e dessa vez Mari Gavim também foi trabalhar a sua Lady.

Começamos Zambia, foi fantástico como sempre! Ele vem intensificando o trabalho  em cima desse contexto de força, da relação com a terra, com o chão. Vimos muita coisa de Omolu e Nanã também, tem muito a ver com essa energia que estamos trabalhando. Mal consigo andar depois do esforça da aula, foi puxado, mas, já já o corpo acostuma, tem valido muito a pena!!!

Comentários