Memorial 15.09.14 - Paulo Santana

Etiquetado:

É tão bom quando mergulhamos de cabeça nas coisas sem nos preocupar com o que vai acontecer, simplesmente deixando rolar. Estou me sentindo assim na Oficina da Livre.

Mais uma semana começando de maneira maravilhosa, com a Yoga. Estou bem contente em conhecer mais meu corpo, meus limites e poder trabalhar para expandir isso, melhorar minha respiração e minha relação comigo mesmo (ainda me sinto um velho, todo duro, todo enferrujado, mas vamos melhorar isso). Quando terminamos com Anita eu me senti flutuando, em algumas ocasiões e viajo mesmo na onda do momento, rs.

Nesse clima relax, Tiago Querino nos encaminho pra uma sessão de massagem (muito bom), para aproveitar a energia do ambiente. Começamos mais uma rodada de caminhada pela sala, com atenção no olhar, na disposição do ambiente, atenção para o foco e a mudança do foco quando solicitado. Interessante brincar com as possibilidades de foco, de retorno a caminhada com energias diferentes (pulando, girando, virando).

Passamos por uma rodada (muito louca) de improvisação. Percebi que por mais que a gente tente se preparar, ir pensando em algo, etc. Quando chega a nossa vez é sempre muito louco, não sai nada como planejado (isso é bom), ficamos no olho do furacão tentando encontrar uma maneira de organizar o pensamento, falar de maneira coerente, mas acabamos travando algumas vezes... Atividade muito boa que está me mostrando como pensar rápido (mesmo que eu não esteja indo tão rápido assim).

Feito o aquecimento e as atividades rotineiras (que nunca são rotineiras de verdade), hora de partir para o universo de Shakespeare.  Hoje começamos a montar de fato uma cena baseada nas nossas cenas anteriores, unindo o grupo todo. Achei interessante a construção e posso dizer que dei o sangue pela cena hoje. kkkkkkkkkkkkkk

Palavra do dia: TESÃO

Comentários