Pular navegação

Proposta para Moeda Social - Bueno Franco

Ajuda

Proposta para Moeda Social - Bueno Franco

Propósito e regras de funcionamento

Projeto de organização econômica e social proposto para o Desenvolvimento Cultural Comunitario de base PVFG para autogestão dos territórios Culturais em Betim.

Apresentação
O objetivo do Desenvolvimento Cultural Comunitário  é buscar na fonte da cultura popular o lastro para uma forma alternativa de economia cultural solidária através de uma moeda social: o Bueno.

O desenvolvimento cultural comunitário sob a égide de uma forma econômica e solidária de reconhecer o suor de quem é agente do cotidiano cultural da comunidade.


 A iniciativa visa estabelecer um processo colaborativo de autogestão dos territórios culturais da cidade garantindo acesso, trocas etc. a artistas, estudantes e abrigando processos de formação e ocupação social e cultural dos territórios da cidade.  
 Os territórios culturais da cidade possuem um histórico de ações sociais e culturais junto às suas comunidades e realizam suas atividades muito antes da institucionalização governamental da cultura.
A economia solidária servirá de gancho de gestão criativa para os territórios culturais viabilizado através da organização coletiva, de seus agentes, da oferta e procura de produtos, serviços e saberes com e entre usuários, público, agentes culturais, artistas etc. no espaço pela troca direta e também através da moeda social “Bueno” tendo como plataforma de apoio a plataforma Corais.org

Funcionamento:


As comunidades culturais, grupos e coletivos poderão oferecer produtos e serviços de produção cultural diversa,  audiovisual, assessoria de imprensa, organização de eventos e formação em cultura digital utilizando softwares livres tendo como alicerces o comércio justo e a economia solidária.


Os produtos e serviços oferecidos publicamente deve possuem o preço aberto e a moeda social "Bueno" se torna uma outra opção para contratação além das formas atuais (contratação em reais ou troca direta entre produtos e serviços). Desta forma associado a cada produto e serviço  teremos um valor associado em "merrecas" que visa flexibilizar o acesso de estudantes, agentes comunitários, artistas e frequentadores dos diversos espaçoes culturais.


A circulação de Buenos será administrada de forma aberta através de uma plataforma digital aberta onde cada indivíduo terá uma conta pessoal que serão creditadas e debitadas de forma automática e interativa.
O Lastro dos Buenos será garantido através da capacidade de oferta de produtos (entrada em eventos, produtos diversos, insumos etc.) e serviços (serviços gerais, serviços de apoio, videoclipes, registro fotográfico, release artístico, identidade visual etc.)  e saberes (oficinas e consultorias) pelos participantes da rede de economia solidária


O objetivo da moeda social não é o acumulo de capital (ou de merrecas) e sim facilitar as relações locais entre atores sociais e culturais e ter um instrumento balizador de trocas diretas possibilitando também um acesso maior a tudo que for ofertado nos espaços culturais e de convívio e interação social dos territórios culturais. O uso da moeda social não impede a doação de produtos e serviços ou a oferta gratuita dos mesmos durante eventos ou ações nos espaços culturais e eventos, possibilita entretanto que indivíduos e grupos viabilizem seus saberes e fazeres em arranjos econômicos locais tendo uma moeda social como instrumento de apoio.


Para conseguir créditos em Buenos qualquer pessoa pode oferecer produtos e serviços adotando este câmbio.  
Parte das tarefas de manutenção dos espaços podem ser mapeados e valoradas em Buenos de modo que indivíduos integrantes rede de economia solidária ou frequentadores dos espaços possam executar estas demandas de acordo com sua disponibilidade e interesse e receberem por isso um crédito social. Estas ações incluem a limpeza dos espaços, manutenção dos jardins e áreas verdes, apoio em eventos e ações nos espaços culturais dos territórios.  
A lista de tarefas com uma proposta de valor em Buenos e periodicidade de execução destas ações podem ficar disponíveis aos interessados no blog do projeto e aberta a sugestões de atualização incluindo atualizações nos valores, periodicidade e também inclusão de novas tarefas, de acordo com a vivência nos espaços e acordo comum dos ajustes propostos.
Uma vez estabelecido os acordos sobre alguma ação envolvendo merrecas o crédito deve ser debitado à pessoa em até 24 horas após a conclusão da atividade. A execução parcial da atividade não resulta em crédito parcial o que não impede quando for possível do envolvido combinar um retorno para finalizar a tarefa quando ocorrerem imprevistos na execução.
Os eventos realizados pelos grupos ou comunidades podem aceitar merrecas como entrada e podem ter uma boa oferta de produtos. serviços e alimentos cobertos por esta moeda social.
Alguns produtos podem ser exclusivamente ofertados em moeda social não podendo ser comprados em dinheiro. Um exemplo de produtos nesta linha podem ser as camisas e adesivos dos projetos coletivos, comunidades e grupos.

Um exemplo que pode ser utilizado é em projetos coletivos, por exemplo: 

Um projeto de pesquisa de viabilidade e mapeamento cultural no territorio do Alterosas
Cada 1 hora de atividade de pesquisa vale 10 Buenos (B$).
Serão 7 encontros de 4 horas cada, então cada pesquisador deve finalizar o trabalho com um saldo de - B$280, cada parte deverá ser "pago" a cada encontro de pesquisa.

Regra: A cada atividade de pesquisa cada pesquisador deve:
1 - postar (comentar) a pesquisa realizada no Corais;
2 - Inserir os dados coletados através da ferramenta escolhida (formulario google ou planilha corais)
3 - Realizar uma transação no módulo de Moedas Sociais no Corais.
 - transferir M$ 40 do usuario-banco para a sua conta pessoal
O usuário-banco é um usuário registrado no projeto que possui poderes especiais. Ele pode ser usado como um banco comunitário, tendo seus limites equivalentes ao lastro produtivo da comunidade.

Como realizar uma transação (pagamento em moeda social)
Após realizar as atividades de pesquisa, e postar as informações, siga os passos abaixo:

ATENÇÃO: a tarefa deve estar "em andamento". Caso esteja "concluída " , clique na palavra "completada" para que ela fique "em andamento".
1 - Na tarefa, clique em "Adicionar transação". Na janela de criar transação:
2 - Escolha a tarefa que você executou;
3 - Escolha a moeda "merreca"
4 - Em "motivo da transação", escreva o nome da atividade
5 - Em "conta a ser debitada", escreva o numero/nome da conta usuário-banco
6 - Em "conta a ser creditada", escreva o número/nome da sua conta
7 - Em "quantidade", digite o valor correspondente
8 - Clique em "Salvar".

Para ver os números de conta. Caso o link não funcione, siga os passos: ir no módulo "Moeda social", depois em "Visão geral de saldos" e em "Versão para impressão". Localize o seu nome e veja o número de sua conta.

Comentários

Precisa de ajuda?

Blog

O blog permite que os membros de um projeto se comuniquem, discutindo e publicando novidades. É um ótimo lugar para compartilhar processos, desafios e explorar ideias.