Recurso desenvolvido- Infográfico "Linux Educacional - Como funciona Edubar?"

Com muita satisfação estou apresentando o primeiro recurso educacional desenvolvido dentro do projeto Professorando, o Infográfico "Linux Educacional - Como funciona Edubar?" Veja mais.....

infrografico_edubar_parte1-03.jpg

Para saber mais sobre cada um dos botões presentes na Edubar clique nos botões correspondentes a baixo 

OBS: Dependendo da velocidade da internet pode levar alguns segundos para o arquivo carregar

botoes_separados-01_0.pngbotoes_separados-02_0.pngbotoes_separados-03_0.pngbotoes_separados-04_0.png

A baixo se encontram os arquivos correspondentes ao recurso em sua forma integral e de tamanho original

Somente o arquivo na extensão acima (em pdf) é possivel selecionar/copiar textos e clicar em determinados links de forma a acessar sites que fazem parte do contexto do conteúdo apresentado.

A versão acima (em jpg) não permite clicar nos links disponibilizados, entretanto possibilita ser recortada/colada/editada em documentos, slides, outras imagens e etc...

A versão acima (em svg) se destina a edições gráficas (alterar cores, textos, formas, desenhos e etc...) em softwares especificos como Gimp, Inkscape, Adobe Illustrator, Corel e etc...

Como o projeto se baseia em principios de Design Livre, será disponibilizado além do recurso para consulta e uso, seu arquivo fonte e sua documentação metodológica. De forma que se outros professores/alunos/pesquisadores/interessados quiserem criar seus próprios materiais poderão utilizar estes como ferramental técnico é intelectual para tal atividade (não se esquecendo da licença de uso que permeia o projeto).

Se o recurso lhe chamou a atenção tanto positivamente quanto negativamente, deixe sua opinião, participe do projeto nos apresentando sua perspectiva em relação ao assunto,talvez outros projetos possam ser beneficiados pelo questionamento e a contribuição de ideias.

Comentários

#1

DOCUMENTAÇÃO DO RECURSO: INFOGRÁFICO "LINUX EDUCACIONAL - COMO FUNCIONA EDUBAR?"

CASO NÃO HAJA O INTERESSE NESSA DOCUMENTAÇÃO PULE ESSE COMENTÁRIO, MAS NÃO SE ESQUEÇA DE CONTRIBUIR COM PROJETO! COMENTE, CRITIQUE, PARTICIPE!

Para a documentação do processo de produção desse recurso se viu necessário separar o processo em 3 secções. Dessa forma pretende-se debruçar-se mais sobre cada uma das partes que integram o desenvolvimento do recurso, além de conseguir montar uma metodologia que pode ser utilizada por outros indivíduos. Assim temos:

  • 1. Metodologia de desenvolvimento dos recursos

    • 1.1. Minha metodologia

    • 1.2. Definição de conteúdo

    • 1.3. Concepções teóricas abordadas

  • 2. Desenvolvimento do recurso

    • 2.1. Esboços e ideias

    • 2.2.Versão final

  • 3.Considerações finais

1. Metodologia de desenvolvimento dos recursos

1.1 Minha metodologia

O objetivo dessa secção é comentar minhas experiências com o desenvolvimento de recursos educacionais e traze-las a luz de conhecimentos técnicos/metodológicos formais de design. O objetivo não é estabelecer uma forma de desenvolver para esse tipo de produto, mas sim inspirar e ajudar outras pessoas que possam vir a querer desenvolver recursos educacionais.  Essa experiência não fora a primeira com a produção desse tipo de artefato, sendo que participei da produção de recursos educacionais abertos (REA) em minha iniciação cientifica (http://corais.org/readi/ ).

Primeiramente parto do estudo do tema, de forma a entender o assunto de forma geral (como designer não substituo o conhecimento de outros profissionais) e evitar grandes erros conceituais ou de informação. Nesse processo de pesquisa e estudo já seleciono os links dos materiais para serem futuramente referenciados no próprio produto.

Compreendendo o conteúdo, faço sua seleção e compilação em unidades menores de informação, além de já ir pensando em formas visuais de apresentação dessas informações (que tipos de gráficos, ilustrações e composições poderiam ser utilizados para explicar esse conteúdo).

 Esboçar elementos visuais para o recurso é uma atividade que acontece desde antes do estudo do conteúdo, mas é somente após a definição do que realmente será utilizado que há a seleção entre os esboços que mais se adaptam a isso. Geralmente os esboços partem de inspirações advindas de outros materiais gráficos ou de experimentações de formas de desenhos.

O protótipo que se encaminha a virar a versão final, geralmente tem todas as suas questões bem resolvidas (espaços entre todos os elementos já estão bem delimitados), entretanto ainda podem ocorrer ajustes de tamanhos, formas, cores, espaços, textos e etc.. Todas as mudanças e experimentações preferencialmente acontecem na forma de esboço e protótipos, onde o detalhamento é menor e grandes mudanças não exigem tanto trabalho (na versão final existem muitos detalhes na imagem que podem dificultar o manejo com todos os elementos da composição).

Algumas vezes o produto passa por algum tipo de revisão para resolver problemas que não tenha conseguido captar, mas não foi o caso desse recurso, até por isso sugiro que criticas e sugestões sejam levantadas nos comentários dessa postagem.

De forma resumida esse é processo da produção do recurso, a questão da disponibilização entrará nas considerações finais. A seguir seguem os detalhamentos das partes integrantes do processo.

1.2.  Definição de conteúdo

Primeiramente, este foi o primeiro recurso a ser desenvolvido no projeto Professorando, dessa forma ele não se iniciou de sugestões de temáticas/problemas por parte da comunidade. Mas sim da identificação introspectiva de um problema presente na realidade de professores, com quem foi feito contato (através de entrevista ou dialogo). Esta condição trouxe um caráter mais pessoal no que tange a definição do tema central do recurso, pois como autor do recurso, acreditei que o conteúdo referente a Linux Educacional solucionaria a problemática observada (os docentes com que conversei demonstravam dificuldades em executar tarefas nesse sistema operacional).

Tendo então definido o assunto ( Linux Educacional 5.0) o próximo passo foi fragmenta-lo em secções menores, de forma a facilitar o escopo de conteúdo a ser trabalhado. Dentro de todo o conteúdo referente ao Linux Educacional 5.0, foram identificados eixos de conteúdo, como por exemplo:

  • Informações referentes à introdução ao Linux Educacional;
  • Informações referentes à interface e ambientes;
  • Informações referentes a possíveis tarefas e uso da internet;
  • Informações referentes a possibilidades didáticas no Linux Educacional;

Após essa separação simples de conteúdos, foi novamente necessário escolher quais dessas secções seriam trabalhadas. Para esse trabalho foram revistos os dados coletados nas entrevistas (em sua maioria anotações de comentários pertinentes ao assunto conversado) e foram novamente identificados que relações técnicas que permeiam o uso do Linux Educacional são as que deveriam, nesse estágio do projeto, serem priorizadas. Pensando em atingir esse objetivo especifico (ajudar o professor a entender a especificidade técnica do Linux Educacional 5.0) foi esquematizado um conjunto de recursos que compreenderiam inicialmente:

  • A interface geral;
  • A barra de aplicativos Edubar;
  • Funcionalidades e atividades no sistema;

Apesar de haver uma ordenação linear nos recursos, foi decidido começar pelo que compreenderia a barra de aplicativos Edubar, já que era o mais sintético dos conteúdos e seriam fáceis as formas de se encontrar informações a seu respeito.

As informações utilizadas para compor o recurso referente à barra de aplicativos Edubar, são provenientes:

  • Do manual de usuário do sistema operacional, que possui uma parte especifica a respeito desse tema e é providenciado pela própria desenvolvedora dessa distribuição; <http://linuxeducacional.c3sl.ufpr.br/ManualLE5.pdf>
  • De um curso digital a respeito do tema disponibilizado pelo MEC. Todavia o curso lida com uma versão antiga do sistema operacional, então seria necessária uma maior atenção para lidar com as informações pertinentes ao assunto; <http://webeduc.mec.gov.br/linuxeducacional/curso_le/index.html>
  • Dos sites e portais que constituem a barra de aplicativos Edubar; <http://tvescola.mec.gov.br/tve/sobre>, <http://www.dominiopublico.gov.br/Missao/Missao.jsp>, <http://portaldoprofessor.mec.gov.br/sobre.html>, <http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/staticspages?t=0

1.3. Concepções teóricas abordadas

Essa parte não constitui exatamente da metodologia de desenvolvimento do produto, entretanto é imprescindível para quaisquer materiais educacionais apresentar discussões teórico/práticas que envolvem os seus usos. Não competem a essa documentação fazer uma discussão aprofundada, mas sim apontar alguns direcionamentos que foram tomados, em ordem de melhor adaptar o recurso à problemática ao qual ela está inserida. Assim podemos pontuar algumas ideias:

  • Me inspirei no movimento de Recursos educacionais abertos, ao passo que ela se preocupa com a disponibilização e licenciamento desses materiais, possibilitando sempre que outros indivíduos possam fazer uso desse material da forma que lhes fosse pertinente.  Dessa forma ao produzir o material disponibilizaria seus arquivos fonte (para edição de terceiros) e licenciaria o material (garantir alguma autoria e propriedade para os autores sem limitar seus usos para a comunidade).                             Além do movimento de REA, me inspirei também no movimento Design Livre, ao passo que incentiva em trazer para o projeto e desenvolvimento os indivíduos que utilizarão o produto (os comentários e questionamentos tem por esse fim) e abrir esse projeto para que outros interessados possam ter contato e possam também ser inspirados e contribuir em seus próprios projetos (essa documentação tem por esse fim).
  • No que se refere a ensino para adultos, utilizei das ideias do filósofo brasileiro Álvaro Vieira Pinto. Junto de Paulo Freire, possuíam uma concepção bastante preocupada com a realidade social, politica e cultural que o indivíduo se encontra num processo educacional. Álvaro propunha que discentes adultos apresentavam uma concepção de mundo formada, mas isso não restringia a possibilidade de que poderiam aprender tardiamente conteúdos formais. Para isso precisariam aproximar esses conteúdos teóricos das atividades práticas e funcionais que adultos praticam diariamente (em suas ocupações profissionais, por exemplo).                                                                                                                                                                               Então o projeto bebe de suas ideias no que diz respeito à forma de atingir o público. Professores são adultos, portanto ao aprender devem não somente se prender a conteúdos teóricos, mas a contextos de suas atividades como profissionais da educação.
  • Já que os materiais se destinam a professores, conceitos relativos à formação docente entraram em pauta. Conceitos como o de autonomia pedagógica defendidos pelo pedagogo brasileiro Paulo Freire, onde entra em discussão exigências a prática docente como a pesquisa, criticidade, estar sempre apto a aprender (com seus alunos inclusive), reflexão crítica sobre a prática e etc... Sempre considerando que ensinar e consequentemente aprender não é uma questão de transferir conhecimento, mais propiciar formas do outro adquiri-lo.

Dessa forma sabia que deveria ao desenvolver o recurso educacional disponibilizar arquivos fonte e a documentação do processo metodológico; engajar o professor a participar do projeto; propor uma contextualização com a realidade do professor; falar com os professores em uma linguagem adequada e propor formas de acessar mais conhecimentos do que apenas aqueles disponibilizados no próprio material.

2. Desenvolvimento do recurso

2.1. Esboços e ideias

Como dito anteriormente desde o momento que estudei os assuntos e comecei a segmenta-los já pensava no conceito estético do material e esboçava algumas figuras. A seguir segue alguns esboços e ideias que tive no decorrer do processo:

img_20151108_192139928_0.jpgimg_20151108_192211125_0.jpg

img_20151108_192154018_0.jpg

A primeira questão a ser pensada fora a orientação do recurso (retrato ou paisagem), dependendo de qual fosse escolhida haveria impedimentos e possibilidades compositivas diferenciadas pra mesma quantidade de informação. Apesar de haver um esboço em orientação paisagem, esta não persistiu porque pessoalmente não sabia como lidar com a composição de muitos textos em um espaço horizontal.

Desde o inicio já se tinha como objetivos usar cores mais fortes e fontes mais simples e geométricas (para textos e títulos). Uma composição de fontes para o título fora a primeira ideia a ser esboçada, pois conferia ao material uma personalidade mais moderna e lúdica (já que cada palavra possuía uma fonte diferente, e essas fontes traziam significados diferentes para cada palavra).

Entretanto não foram somente pensadas questões estéticas nos esboços, como também possíveis formas de trabalhar hyperlinks, referenciar as informações, dar créditos aos autores e “linkar” o recurso com o portal Professorando. A questão dos hyperlinks foi de solução mais complexa já que dependia muito da composição do recurso e dois espaços sobressalentes, enquanto as referencias, autoria e link para o portal poderiam ficar no rodapé do recurso, conglomerando essas informações importantes e técnicas fora da composição das informações principais do recurso.

Obs: alternativa desenvolvida para lidar com as informações no recurso.

1_0.jpg

Após essas alternativas dei prosseguimento ao desenvolvimento do material procurando seguir uma linha estética (simples, cores unicas, lúdico, chamativo) e desenvolvi o titulo do recurso que segue a baixo:

4_0.jpg

Este ao contrario dos esboços foi planejado para ficar em um canto do recurso pois não ocuparia tanto espaço que poderia ser preenchido com mais informações pertinentes.Escolhi o laranja-avermelhado por ser uma cor forte e quente, que chama a atenção e que foge de cores utilizadas para educação ou tecnologia (azuis claros e escuros normalmente). Escolhi as fontes Swis721 BlkCn BT Black  para a palavra “Linux” e “Edubar” (por ser mais exata, sólida e moderna assim como programas de computador); Olivier Regular  para a palavra “Educacional 5.0” (por seu caráter mais cursivo e lúdico, imitando a escrita do professor no quadro) e Amatic SC para a palavra “Como funciona?” (que apresenta um aspecto cursivo mais descontraido e informal como o objetivo desse recurso educacional).  Utilizando as fontes na cor branca consegui um melhor constrate e legibilidade, entretando adicionei uma sombra projetada para que houvesse uma profundidade no título afim de deixa-lo mais interessante, além de que utilizei amarelo pela harmonia e contraste com o laranja-avermelhado.

Após ter feito o título dependi do conteúdo para compor o resto do material, que por conta de ser extenso e me faltar habilidade para organizar as informações na horizontal , escolhi por produzir um infográfico vertical (retrato). Sendo um infográfico poderia melhor relacionar o conteudo textual com o visual, adicionando esquemas para o recurso.

Entre os conteúdos que deveriam ser adaptados para os recursos se encontravam:

  • Fazer uma introdução sobre o Linux Educacional e a barra de aplicativos Edubar;
  • Mostrar na interface do Linux Educacional onde se encontrara a barra de aplicativos Edubar;
  • Fazer uma breve descrição de cada um dos quatro botões da Edubar;
  • Falar mais e especificamente de cada botão.  

Quanto a introdução sobre o Linux Educacional decidi por aproveitar o espaço ganho com o título do recurso para posicionar a introdução ao lado. Para mostrar na interface do Linux Educacional a Edubar decidi colocar uma imagem da tela do Linux Educacional dentro de uma ilustração de computador, de forma a simular um uso “real” do sistema operacional. Segue a baixo um esboço:

3_0.jpg

Utilizando de uma representação azul escura de computador (estilo flat design) conseguiria uma sobriedade e neutralidade maior, de forma a dar enfoque para a interface do Linux Educacional. Porém a interface ainda se mostrava pequena, então utilizando de uma seta amarela conseguiria um maior contraste com o azul e indicava mais explicitamente a posição da Edubar na interface. Porém essa representação de computador não condizia com algumas referencias de computadores em laborátorios de informática em colégios públicos (geralmente esses laboratórios apresentam computadores velhos), então se fez necessário retrabalhar essa ilustração.

Afim de fazer uma breve descrição dos botões da edubar planejou-se  por em evidenciar a barra de aplicativos e os botões ao invés do conteúdo. Assim segue a seguir a proposta de esboço para esse aspecto do conteúdo e o do parágrafo anterior.

5_0.jpg

Na introdução (ao lado do título) houve necessidade de aplicar uma textura de fundo ao mesmo tempo que houve necessidade de destacar ao texto, já que aquela região ficava demasiada limpa e essa textura preencheria, entretanto esta influiria na legibilidade da introdução. Então propondo uma área branca que corta a textura seria possssível  preencher o espaço e permitir a devida leitura do texto (a cor vermelha escura para a fonte tinha o objetivo de harmonizar com a cor do título). Para esse texto foi utilizada a fonte NewsGoth Lt BT (por ser mais moderna e simples além de ter uma boa legibilidade), com negrito na palavra importante.

Para demarcar mudança de informação entre a introdução e mostrar na interface do Linux Educacional a Edubar utilizei de uma composição mais dinâmica que quebrasse a neutralidade da composição da introdução. Assim utilizei um azul mais forte e da representação de computador em flat design (que as vezes utiliza um efeito estético de duas cores em determinados elementos), mas dessa vez propus representar também um ambiente de laboratorio de informática em uma situação de uso (um professor utilizando o Linux Educacional para estudar) clareando a cor nos elementos de trás para dar uma sensação de profundidade na ilustração. Além disso nessa representação apliquei por cima uma textura de papel amassado para que assim houvesse um elemento diferenciado e chamativo, além da relação metafórica entre folha de papel e escola. Para o texto fora utilizado a fonte Square721 BT (por apresentar um aspecto mais simples, tecnológico, quadrado e moderno o que combinava dentro do tema) em branco para dar destaque no azul e facilitar a legibilidade, e azul escuro na palavra importante para dar destaque entre as palavras brancas.

A breve descrição dos botões da edubar se focou mais em mostrar os botões por isso foram centralizados enquanto os conteúdos tiveram que ser adaptados ao espaço disponível.Nesse ponto do desenvolvimento do recurso que veio a ideia de utilizar as cores principais de cada botão (vermelho, verde, amarelo e azul) para os conteúdos específicos respectivos, assim o esquema e os conteúdos subsequentes ficariam mais coloridos e chamativos, sem perder a função (indicar a que botão cada conteúdo fazia referencia), foi utilizado para os titulos de  cada botão da Edubar a fonte Olivier Regular (possibilitando destaque para esse título) e para esses conteúdos a fonte NewsGoth Lt BT. Como estavam sendo trabalhadas cores fortes o fudo necessitou ser mais neutro e o título desse conteúdo (utilizou também a Square721 BT) utilizou um marrom para harmonizar com esse fundo.

A partir desse conteúdo todas as composições subsequente utilizaram do esquema de cores previamente levantado além de utilizar das fontes já mencionadas sempre procurando colocar uma hierarquia de informação (a fonte mais trabalhada ou maior é título ou informação importante enquanto a fonte menor e menos trabalhada é uma informação mais comum). Pensando em especificar trechos sobre cada botão de forma mais extensa foi pensado em utilizar o conceito de arquivo, como se cada informação daquelas fosse um arquivo diferente sendo “puxado” (analogia esta que poderia ser entendida por muitas pessoas mais velhas) dessa forma segue a baixo o esboço:

7_0.jpg

De forma a evitar erros foi deixado explicito sobre que cada “arquivo” se referia, assim, além de cada cor representar os botões apresentados foi nomeado o topo de cada seção de conteúdo com o botão específico. Ao montar cada seção de conteúdo havia duas preocupações:

  • Encaixar todo o conteúdo de forma que este não aparenta-se ser extenso, destacando seu principais pontos;
  • Por uma imagem do site/potal  seguido do endereço eletrônico (como futuralmente esse endereço poderia ser clicado a inteção foi deixar explicito que poderia ser clicado) ao qual cada botão da Edubar direciona;
  • Conseguir representar cada seção por um desenho ou um conjunto deles, ou mesmo substituir alguma informação ou conceito por uma ilustração;
  • Separar um espaço para por links que complementassem o conteúdo trabalhado em cada seção, de forma que ficasse claro que aquela informação era diferente do resto (no caso deixaria essa informação dentro do quadro branco na seção de objetos educacionais);

Enquanto se trabalhava essa informações especificas de cada botão foi resolvido também a questão do rodapé do recurso, este apresentaria as informações tecnicas e autoria do material. Foi planejado de que este espaço poderia ser constante para outros materiais educacionais, pois apresentaria ali o projeto onde fora desenvolvido (e um pouco da sua identidade visual)o recuso, além das informações pertinentes para aqueles que quissesem distribuir esse material. Assim segue a baixo a solução encontrada:

6.jpg

Assim após completar todas as informações do infográfico teve-se como resultado a ilustração a baixo (lembrando que a ilustração é muito comprida então foi necessário dividi-la em duas).

8_0.jpg9_0.jpg

2.2. Versão final

Ao termino da produção do recurso tendo a liberdade garantida pela licença

CC BY (a licença do projeto Professorando) escolhi por trabalhar no infográfico com uma licença de caráter mais proibitivo (CC BY-NC-SA) de forma a evitar usos comerciais e garantir que se editado ou remixado as obras derivadas deveriam apresentar a mesma licença que atribui. Essa medida apesar de mais proibitiva não muda o caráter aberto do projeto em si e a curto prazo não se pode estimar seus efeitos na forma como o material será utilizado pelos usuários.

O infográfico ao ser aplicado com professores da rede pública de ensino

se mostrou pouco adaptado ao tipo de conteúdo que geralmente consumiam e a forma pelo o qual o fazem. Assim para propiciar o consumo do material por professores de diferentes realidades e competências além de explicitar mais os locais que poderiam ser clicados desenvolvi duas versões do mesmo recurso (não alterando seu conteúdo) sendo aplicadas de formas diferentes dentro do projeto.

  • A primeira versão apresenta uma proposta interativa e lúdica um pouco maior. À medida que explicita que as informações específicas de cada botão da Edubar (Domínio Público, Objetos Educacionais, Tv Escola e Portal do Professor) são acessados ao clicar no botão respectivo. Essa versão é utilizada no portal Professorando para consulta e todos os pontos de entrada mapeados levam a ela (o portal fornece infraestrutura técnica que possibilita esse tipo de interação).

10_0.jpg

  • A segunda versão apresenta o infográfico em seu tamanho original e não conta com propostas interativas maiores . Essa versão é a aquela disponibilizada para edição de terceiros, de forma que ao apresentar todo o conteúdo simplifica esse processo. A versão é utilizada também no portal Professorando através dos links disponibilizados para download, na seção galeria do portal e como cópia no repositório Arcaz.

11_0.jpg

3.Considerações finais

Mesmo após terminar o recurso acredito que ainda há muito que possa ser explorado e testado com docentes, pois cada realidade pedagógica demanda um tipo de suporte tecnológico. Mas com certeza desenvolver esse material apesar de cansativo (por estar trabalhando sozinho principalmente) se fez uma tarefa muito interessante, onde agreguei muito aos meus conhecimentos de design e de educação ao passo que a educação em si sempre está aberta a muitas variáveis e a resposta acaba não sendo clara e muito menos fácil, mas por um objetivo maior se faz importante desenvolver alternativas (tanto de design quando pedagógicas) e testa-las.

Espero ter contribuído em algum nível com essa documentação, dúvidas, sugestões e críticas são bem vindas.