Pular navegação

Temas para criação das frases e ilustrações no primeiro mês de campanha

Temas para criação das frases e ilustrações no primeiro mês de campanha

Pontos: 1

Ola pessoal, 

Podemos utilizar esta seção do ambiente para listarmos e indicarmos links úteis referentes as temáticas principais da campanha.  

Nesta página está disponível a funciondalide de comentários onde podemos organizar as sugestões de temáticas que a equipe de criação irá se inspirar.

Para contribuir com novos temas ou complementar algum existente com informações adicionais basta incluir seu comentário abaixo

Comentários

#1

Uma primeira sugestão de tema mais evidente é o patrocínio de médico pela indústria farmaceutica, seja através de "mimos", eventos luxuosos e outras formas de estímulo a indicação de medicamentos.

No toró de idéias apareceram algumas sugestões de frases e memes sobre eventos luxuosos, e sobre o desconhecimento do paciente com a relação do médico e as empresas que produzem suas indicações clínicas. 

#2

Outro tema que vi aparecer foi a relação das O.S. com o Estado e o sucateamento do SUS. Existem várias charges pesquisadas por Eduardo e publicadas no chat do FB que seguem esta temática.

#3

Galera, aqui uma publicação de pesquisa sobre o tema. É bacana dedicarmos um tempo a nos informar mais profundamente pra borbulhar ideias. Abraços

Link: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2013000...

"A privatização do cuidado de saúde em países reconhecidos por seus sistemas públicos, como Inglaterra, Espanha e Suécia, representa uma ameaça ao direito à saúde. Em muitos casos, a crescente comercialização da saúde tem se dado de modo dissimulado, e a produção científica tem um papel crítico no estímulo e aprofundamento deste debate.
Neste fascículo, o tema da privatização na saúde está presente nos artigos de Sestelo, Souza & Bahia (p. 851-66) e de Noronha (p. 847-9). Sestelo et al. apresentam uma revisão crítica da produção acadêmica sobre a mescla público/privado no Brasil, entre 2000 e 2009, em estudos que analisaram a saúde suplementar. Extraem desta produção vários elementos para o debate atual da relação público/privado, conceito, segundo os autores, mais adequado do que o de mescla para a análise das intricadas conexões entre esses setores. Relembram que o processo de privatização, tem longa história no país, a qual deve ser incorporada às análises sobre o contexto atual."

 

#4

Muito elucidadora a publicação acima!

#5

Pois é, Carlos, também achei. Consegui acessar só o editorial, você conseguiu acessar a publicação? Para mim aparece 'página com erro', não sei se é minha conexão, problema no arquivo ou se não está disponível mesmo.

#6

Mesma coisa. Também só consegui o editorial mesmo.

#7

Sugestões de Javier e Jorge publicadas na reunião virtual de 22/03/2016

(sugestão de Javier)
Organizar a informação por blocos
O que ficou um pouco complicado é que com tantas ideias não vejo uma organização muito clarta, então pensei que podíamos dividir por blocos temáticos, sugiro 4:
Alternativas à medicalização (foco na mudança de hábitos para melhorar a saúde)
Laboratórios (foco nas estratégias dos laboratórios)
Patentes (alternativas à compra de medicamentos mais baratos)
Atendimento/Consultório (foco na argumentação do cliente dentro do consultório e na farmácia)

(sugestão Jorge Hopper)
Simplificar a informação o máximo possível
Infográficos para facilitar o entendimento
evitar briga capitalismo/socialismo
fazer perguntas simples com respostas diretas

por que funciona assim? por x motivos. Buscando simplificar o entendimento do problema

#8

Finalmente aqui. No momento me acostumando com a plataforma.

#9

Informações adicionais para a criação das peças gráficas para a campanha Saúde não é comércio.

Após conversa ontem entre Alessandra, Claudio, Jorge Hopper e Javier chegamos a alguns pontos importantes para o início da campanha:

  1. Comunicação inicial precisa ser bem didática;
  2. Foco no SUS e nas ameaças ao SUS vindo de vontade de semi-privatização via PPP – Parcerias Público Privadas (inclusive faz parte da Agenda Brasil apresentada ano passado pelo PMDB);
  3. Pensar em termos de Causa e Consequência;

Como direção para as primeiras peças, devemos responder três questões que são confusas para a população e precisam ser esclarecidas:

  1. O que é o SUS? É um sistema de saúde com princípios de integralidade, universalidade e equidade, não apenas um hospital ou um Posto de Saúde;
  2. O que é preciso para o SUS funcionar bem?
  3. Quais são as ameaças à saúde pública no Brasil?

Três ideias da sessão criativa que podem ser consideradas como fonte de inspiração para esta primeira fase da campanha:

  • Tem muito interesse privado jogando contra o SUS. A cartolagem é pesada, as propinas imensas, os clubes fechados. Por isso ninguém lhe dá bola, você fica sempre na reserva e, no final, sua saúde perde o campeonato.
  •  
  • Post com definição de dicionário do verbete RECEITA (prescrição médica e faturamento). Texto: O SUS é um sistema público, não permita que seu médico confunda as receitas.
  •  
  • LOBBY pagou a campanha dos seus aliados políticos. Agora eleitos, estão devolvendo o favor querendo privatizar o SUS. LOBBY é MAU.

#10

Quanto aos croquis enviados: vamos analisar com mais calma, mas logo de cara gostamos da ideia da caixa de remédio com a nota de dinheiro, no entanto seria legal que o medicamento fosse um usado na terapia HIV, como o Kaletra ou Tenofovir, por exemplo.

Estamos pensando em como adaptar as outras ideias de acordo com a direção que precisamos dar para a campanha em seu início, conforme colocado no texto acima #9.

Lembrando que o foco principal da campanha é "a influência corporativa na saúde pública."

Vou para um evento agora. Depois volto a opinar mais especificamente sobre a arte apresentada.

Bom trabalho, vamos afinando. Obrigado.

#11

Aquelas frases não podem ser para agora. E a questão com Médico precisa ser melhor desenvolvida. Por favor, seguir essa direção abaixo (a razão está descrita acima):

Três ideias da sessão criativa que podem ser consideradas como fonte de inspiração para esta primeira fase da campanha:

  • Tem muito interesse privado jogando contra o SUS. A cartolagem é pesada, as propinas imensas, os clubes fechados. Por isso ninguém lhe dá bola, você fica sempre na reserva e, no final, sua saúde perde o campeonato.
  •  
  • Post com definição de dicionário do verbete RECEITA (prescrição médica e faturamento). Texto: O SUS é um sistema público, não permita que seu médico confunda as receitas.
  •  
  • LOBBY pagou a campanha dos seus aliados políticos. Agora eleitos, estão devolvendo o favor querendo privatizar o SUS. LOBBY é MAU.